domingo

É a crise...dos neurónios.

Visto que o meu carro ainda não veio da oficina (pobre criatura que levou um transplante daqueles), o meu progenitor teve a delicadeza de me emprestar o carro dele. Fiquei de o devolver hoje às 10 da manha. No entanto, como é domingo, como ando cansada e como a noite de ontem não foi lá propriamente curta também, adormeci. Cheguei atrasada 20 minutos no ponto. Ainda não tinha estacionado o carro em frente à casa, já tinha a criatura aos berros, a enxovalhar-me, alto e bom som. (A melhor parte foi: "Quando arranjares um homem a sério, vais levar tanta, mas tanta porrada dele, todos os dias." Ri-me.)
Não sei em que país é que aquilo que eu fiz é uma razão para me condenar à morte...bem, é o pelos vistos na mioleira egocêntrica daquela pessoa.